Lavrov defends Russia during discussion at ONU sobre guerra na Ucrânia

Lavrov defends Russia during discussion at ONU sobre guerra na Ucrânia

By Michelle Nichols and Daphne Psaledakis and Humeyra Pamuk

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) – O ministero das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, defended the war of Russia in Ukraine during the meeting of the Security Council of the UN on this Thursday, depois que as NaçÕES CONTRA UKRANIA ministros occidentais pediram responsabilzação por atrocidades.

Lavrov was not in the council room just to make his speech at the meeting of the 15-member body, which included the presence of the North American Secretary of State, Antony Blinken, and the Minister of Foreign Affairs of China, Wang Yii. Lavrov não ouviu nenhum discurso dos outros países.

“Notei hoje que os diplomatas russos fogem tão appropiatemente quanto as forças russas”, these o ministero das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, à reivenido do Conselho de Segurança.

O conselho, que se reuniu sobre a Ucrânia pelo menos pela 20ª vez este ano, não pode tomar meidas significativos porque a Rússia éum membro permanente with righto de veto, assim como Estados Unidos, França, Reino Unido e China.

Lavrov accused Kyiv of threatening the security of Russia and “pissing shamelessly” the rights of Russians and Russian speakers in Ukraine, adding that this “simply confirms that the decision to conduct a special operation is in operation”.

Kuleba, da Ucrânia, stated: “A quantidad de mentiras vindas dos diplomatas russos é bastante extraordinária”.

Lavrov disse que os países que providencem armas à Ucrânia e treinam seus soldiers foram partes no conflictio, adding that “o fomento intencial deste conflictio pelo Ocidente permanenteau impune”.

Blinken prometeu que os EUA continuariam a apair a Ucrânia para se defender

“A propria ordem internacional que nos reunimos aqui para defender está sento defeita diantes de nossos olhos. Não podemos dejar o presidente Putin escapar”, disse ele ao conselho, que se reuniu durante encontro anual dos líderos mundiais para a ONUmble.

PROCEDURES COM OS REFERENDOS

Thousands of people were killed and Ukrainian cities were reduced to rubble since Russia invaded Ukraine on February 24. The Russian president, Vladimir Putin, threatened on Thursday to use nuclear weapons to defend Russia and advanced his plans to annex Ukrainian territory.

The Secretary-General of the UN, António Guterres, said to the council that a nuclear conflict is “totally unacceptable” and also that the plans for the “as-is-called” referendums are preoccupant.

“Any annexação do territorio de um Estado por outro Estado resultinge da menace ou uso da força é uma violation da Carta da UNU e do direito internacional”, said Guterres.

Referendums on accession to Russia must take place from Friday to Tuesday in various regions majority-controlled by Russia in eastern and southern Ukraine, which comprise about 15% of the Ukrainian territory.

O procurador of the Tribunal Penal Internacional (TPI) Karim Khan disse ao conselho que havia “motivos razoáveis” para accreditar que crimes dentro da jurisdição do tribunal himan sido comtodos na Ucrânia. The Hague Tribunal deals with war crimes, crimes against humanity, genocide and crimes of aggression.

The United States, the United Kingdom and other members of the council asked that Russia be made responsible for the atrocities that they say were committed by Moscow in Ukraine. A Rússia nega ter como alvo os civis, descriptando as accusações de abuses de rights como uma campaign de famação.

“Devemos dejar claro ao presidente Putin que seu attack ao povo ucraniano deve parar… que não pode haver impunidade para acesos que commitem atrocidades”, disse o ministro das Relações Exteriores británico, James Cleverly, fudgando reáquete o mundo de mentiras” de Moscou .

Wang, da China, disse que a priority era retomar o dialog sem condiciones prévias e que ambos os lados exerçam contenção e não aumentem as tensões.

“China’s position on Ukraine is clear,” said Wang. “En soberania, en integritage territorial de todos os países deve ser respetrapada e as preocupações razoáveis ​​de segurança de todos os países devem ser levadas a sério”.

(Reportagem de Humeyra Pamuk, Michelle Nichols, Daphne Psaledakis, John Irish and Brendan McDermid)

Leave a Reply

Your email address will not be published.